Artigos

Chris Ford, o marcador do primeiro triplo na NBA

Desde a introdução da linha de três pontos na NBA, foram marcados mais de 540 mil triplos em jogos da fase regular. E o primeiro de todos foi marcado em 1979 por Chris Ford, que morreu esta semana aos 74 anos. E é apenas para isso que este pequeno texto serve –assinalar o desaparecimento do autor do primeiro triplo na NBA.

O nome Chris Ford pode ser desconhecido para muitos. E pode ser familiar para outros, mas no papel de adjunto de K.C. Jones, nos Celtics de 84 e 86, ou de treinador, nos últimos cartuchos de Larry Bird, Kevin McHale e Robert Parish em Boston ou nas suas passagens pelos Bucks  e Clippers no final dos anos 90. Em 2004, ainda esteve 30 jogos à frente dos Philadelphia 76ers de Allen Iverson, depois de uma aposta falhada em Randy Ayers no primeiro ano pós-Larry Brown.

Mas a sua primeira marca na liga acaba por ser esta. A 12 de Outubro de 1979, na noite inaugural da temporada – e no primeiro jogo da carreira de Larry Bird –, Ford tentou e marcou o primeiro lançamento a valer três pontos da NBA. (E demorou mais de um mês a marcar outro. 15 jogos sem marcar triplos, depois deste primeiro!)

Chris Ford era então “The Mad Bomber”, a alcunha que trazia de Villanova, onde se destacou alcançou uma final de NCAA, em 1971, que perdeu para a UCLA de John Wooden. Começou a carreira em Detroit, escolhido na 17ª posição do draft de 1972 (na altura, já segunda ronda). Esteve seis temporadas ao serviço dos Pistons, onde desde a primeira época se afirmou como um role player valioso: estabeleceu-se como um bom defensor com capacidade de lançamento longo – a valer dois pontos. Nos Playoffs de 1976, um roubo de bola seu selou a única série vitoriosa dos Pistons entre 1963 e a era dos Bad Boys, já nos anos 80.

Por esta altura, a malta da American Basketball Association (ABA) já bombava de três – o triplo existiu durante todas as nove temporadas da liga, de 1967 a 1976, e com sucesso em termos de espectáculo, com toda a nova dimensão que acrescentava ao jogo (Para mais sobre isto, é favor ler o texto sobre Louie Dampier, o rei do lançamento da NBA).

Na NBA, no entanto, a ideia demorou a entrar, não sendo aceite logo na primeira temporada após a fusão da ABA com a NBA, em 1976-77. Demorou três anos, sendo a mudança aprovada em votação dos donos das equipas a 20 de Junho de 1979.

Num texto muito interessante sobre a noite em que Ford marcou o primeiro triplo da NBA (outro jogador que converteu um triplo nessa noite, Kevin Grevey, pensou durante mais de uma década ter sido o primeiro), o  The New York Times partilha a notícia que fez dessa decisão que acabaria por mudar a modalidade. Na mesma reunião, os donos das 22 equipas da liga decidiram reduzir as equipas de arbitragens de três para dois juízes para cortar despesa e não aprovaram a legalização da defesa zona – trios de arbitragem só regressaram em 1988 e a zona só foi legalizada em 2000! É um pedaço delicioso de história.

Quem mandava aprovou a introdução da linha de três pontos, mas o lançamento demorou a colar: não chegaram a ser marcados mil triplos na primeira época, e só quando a NBA uniformizou a linha de três pontos é que se marcaram mais de 10 mil – esta época, com cerca de metade por jogar, já vamos a caminho dos 16.700, o suficiente para ser a 11ª temporada com mais triplos na história).

Voltemos a Chris Ford. Foi trocado para os Boston Celtics no início da época de 1977-78, e foi votado o MVP da equipa nessa temporada. Entre os colegas de equipa na liga era tratado por “Doc”. Numa equipa recheada de talento, integrou o cinco inicial das três equipas de Bill Fitch que chegaram às 60 vitórias.

O auge da carreira como jogador chegou em 1980-81, na qual se sagrou campeão e teve um papel preponderante. Jogou mais um ano antes de terminar a carreira, com 9,2 pontos, 3,4 assistências e 1,6 roubos de bola por jogo.

Passou do cinco inicial para o banco, onde começou por ser adjunto de K.C. Jones e contribuir dessa forma para os títulos de Boston em 1984 e 1986. Continuou nesse papel mais duas temporadas, com Jimmy Rodgers, antes de assumir o cargo de treinador principal em 1990, numa equipa em que Larry Bird, McHale e Parrish já davam as últimas. Ainda assim, carimbou quatro idas consecutivas aos Playoffs, e o bom desempenho valeu-lhe uma selecção para treinador no All-Star de 1991.

Por esta altura, a velha guarda cedia o destaque a Reggie Lewis. Ford era quem estava à frente dos Celtics quando Lewis colapsou durante um treino da equipa, em Julho de 1993, acabando por falecer.

Saiu de Boston em 1995, acumulando um registo muito respeitável de 222 vitórias e 188 derrotas, e continuou a treinar na NBA até aos 30 jogos em que comandou os Sixers, em 2004.

Em reacção à sua morte, os Celtics destacaram uma carreira que abrangeu “mais de uma época de basquetebol” do franchise, deixando a sua marca “em cada passo do caminho” como membro de três equipas da NBA, uma como “jogador-chave” e outras duas como adjunto.

“Era um fundamentalmente versátil e um jogador all-around”, descreve a organização, sublinhando que Ford integra um grupo de elite dos Celtics: é um de apenas quatro membros que ganharam anéis de campeão como jogadores e treinadores – os outros são Bill Russell, Tom Heinsohn e K.C. Jones. E é o único dos quatro que marcou triplos na carreira.

por JOSÉ VOLTA E PINTO [@zevolta97]

Leave a Reply